terça-feira, 28 de abril de 2009

A importância da música nos esportes.


A febre dos iPods uniu mais ainda a música com as atividades esportivas.

Desde muito tempo, a música está diretamente ligada ao esporte. Inesquecíveis são as músicas temas das Copas do Mundo de Futebol. Algumas podem ser caracterizadas como pé-quente, como é o caso de "Pra Frente Brasil" de Os Incríveis, tema do Tri Campeonato Mundial da Seleção em 1970 na Copa do México. Já outras, consideradas pé-frio, como o tema da Copa de 1982 na Itália. Essa última chamada de "Povo Feliz", que ficou mais conhecida como "Voa Canarinho". Composta pelo consagrado jogador Júnior, o compacto vendeu mais de 800 mil cópias. Vale lembrar que o craque Sócrates e o Rei Pelé também se arriscaram no mundo da música.

A copa do mundo do México de 1970 foi embalada pelo hit de sucesso "Pra Frente Brasil".

Essa relação não fica restrita somente ao futebol. Na escalada esportiva temos nosso representante. Sim, senhores e senhoras! Bem verdade que não sei ao certo se o sujeito é um escalador que nas horas vagas é cantor, ou um cantor que nas horas vagas é escalador. Seu nome: Ivan Greene. O cara é forte e, apesar de parecer, ele não é nenhum fanfarrão. Tem em seu currículo boulders de v13 e vias de 5.14. Recebe mais fama do que escala. Mas é interesante como ele conscilia o trabalho com a música e com a escalada esportiva, já que são duas atividades bastante distintas; a primeira, cheia de badalações e tumultos, e a segunda que requer uma concentração grande.

O escalador norte-americano Ivan Greene é literalmente um Rockstar.

Quanto aos ritmos que embalam uma escalada, esses são os mais variados possíveis. Posso citar alguns amigos e seus gostos musicais. Por exemplo, o Antônio Sérgio curte treinar ao som de seus HeavyMetals loucos, já os irmãos Daniel e Rafael Antunes gostam de viajar num eletrônico e o Rodrigo Nunes e o Daniel Lustoza preferem um reggaezinho e um dub de leve para servir de fundo musical nas cadenas.

Outro esporte que ficou bastante ligado à música foi o Surfe. A chamada "surf-music" surgiu nos Estados Unidos da América, mais precisamente em Orange County e no sul da Califórnia, em meados dos anos 50. O estilo musical fez muito sucesso no início dos anos 60 e renasceu nos anos de 80 e 90. A "surf-music" por atravessar gerações, carrega hoje uma legião de fãs que não necessariamente são surfistas, mas que seguem como uma filosofia tanto o esporte quanto a música. Puxado muito para o reggae, o estilo também sofre influências de ska, hardcore, jazz e, é claro, o bom e velho rock 'n' roll.

O surf criou o seu próprio estilo musical: o surf-music.

Seja no futebol, na escalada ou no surf, a música está sempre junta, trazendo com si uma espécie de mix de concentração e estímulo para o atleta. Na arquibancada, na pedra, na areia ou dentro d'água ela se faz presente. Um boa música - a certa, na hora certa - nos dá uma energia que substância nenhuma poderia nos fornecer. Quem não desce da via ou do boulder e já lança o mp3/mp4 no ouvido com aquele som para dar aquela força mágica? Na caminhada rumo ao seu projeto, uma música é muito bem-vinda. Agora com tantos vídeos de escalada, é inevitável que a gente não use uma "Do You Love My Music" [trilha sonora da primeira cadena da via "Realization" 5.15a (12a) em Ceuse, na França, pelo escalador Chris Sharma no filme Dosage Vol.1 produzido pela Big Up Productions] para nos inspirar antes de uma escalada. Como diria o vocalista de uma das maiores bandas de reggae contemporâneo, Harrison Stafford, do Groundation: "Music is the most high!".

Post ao som do álbum do Charlie Brown Jr. - Ritmo, Ritual e Responsa.

1 comentário:

Neudson Aquino disse...

Concordo! Música e esporte, e escalada é claro, tem tudo a ver!
Eu particularmente curto escalar escutando o bom e velho rock and roll...as vezes uma eletronica cai bem pra entrar no clima praquele boulder irado...hehehe