sexta-feira, 3 de abril de 2009

Falésia do Telégrafo - Itacoatiara, Niterói.


Croqui da Falésia do Telégrafo - Por Daniel "Olho" Leal.

Depois de quase uma semana, resolvi tomar vergonha na cara e, finalmente, redigir uma matéria sobre a visita à Falésia do Telégrafo, na Pedra do Telégrafo, na Serra da Tiririca em Itacoatiara, Niterói/RJ.
Inspirado pela volta de Paul Robinson às falésias, resolvi tomar vergonha na cara e relembra como se dá um arremate no bauldrier, como se dá nó, essas coisas!  Enfim, depois de recusar milhares de convites do meu amigo Pedro Cyrino para conhecer a tal falésia, decidi parar de enrolar e ir logo dar uma conferida. Mesmo chuviscando, acordei cedo - fato que merece ser reportado com toda credibilidade porque é algo esplendido - e parti para o bairro de Itacoatiara com meu irmão para encontrar com Cyrino e o grande Lyno (grande mesmo, o cara deve ter uns 2.5m de invergadura).

OBS.: Para facilitar a vida de vocês que estão lendo, e a minha que estou escrevendo, vamos esclarecer uma coisa: Já deu pra perceber que há dois Pedros na matéria. Quando falar Pedro, lê-se Pedro Gomes. Quando citar Cyrino, entendam Pedro Cyrino, tudo certo? Não vamos nos aborrecer? Ótimo!

Bom, após 20 minutinhos de caminhada, chegamos na falésia. O pico é recentemente novo, com pouca frequência, por isso ainda há muitas agarras para quebrar. "Agarras para quebrar": guardem essa frase, ela será repetida algumas vezes nessa matéria. Para aquecer, entrei sacando e alongando aos poucos na via "Desocupa a Moita" 8a. Mas não mandei. Na segunda entrada tentei o "upgrade" dela: um movimento em dois regletes horríveis, nos quais você tem de se erguer e mandar um dinâmico numa agarra boa há, aproximadamente, 1,5m de distância. Na segunda tentativa mandei o boulder inicial e encadenei a via. Linda demais! Na sequência Lyno entrou e, com sucesso isolou todos os moves. A cadena só não foi possível porque uma agarrinha quebrou (ó, não falei?!) com ele nos ultimos moves. Por sorte grau não foi alterado. Acredito que na próxima investida na via, saia a cadena! 

Enquanto isso, os Pedros tomavam uma surra na via "Tatuagem de Guerra" 7c/8a. Cyrino conseguiu repetir a via, já que havia encadenado em sua última passagem pela falésia.Porém Pedro, ou Zé Topada, como preferirem, estava mal! Após passar a noite num rodízio de massas, o jovem parecia estar alguns quilos acima do ideal para realização de qualquer 5ºsup! Logo em seguida, Pedro resolveu tentar também a via "Desocupa a Moita". Mas definitivamente, esse não era o dia dele!

Depois de encadenar a via, resolvi tentar o projeto S.O.S. - que vai continuar projeto por algum tempo. Simplesmente porque da terceira até a quinta proteção só há umas duas agarras "seguráveis". Depois de tentar isolar esses moves bizarros, resolvi descer e tentar a "Tatuagem de Guerra". Obtive sucesso em só tentar. Já estava exausto. Tinha feito mais movimentos nessas vias do que em um mês de boulders.  Dei duas entradas na via. Na primeira, o que aconteceu? Exatamente, quebrou uma agarra da via. Mas o grau permaneceu o mesmo. Na segunda cai no último move. Resolvi descer e descansar para tentar um oitavo grau de três costuras. Opa, oitavo com três proteções? Parece perfeito! Parecia! Após Pedro tentar equipar a via para mim, mas também sem sucesso, entrei na chamada "Arrebenta Cavalo" 8a. Após terminar de equipar a via resolvi dar um pega para valer. Quando preparei para dar o bote, vocês não vão acreditar o que aconteceu! O regletinho usado para dar o bote saiu na minha mão. É mole? Eu juro que não acreditei. Falei "Como isso é possível?!". Depois disso, já com os dedos destruídos pelo granito maldoso, não isolei o movimento. Ficará para a próxima ida ao Telégrafo.

Passadas 5 horas desde a nossa chegada, o sol já estava se preparando para descansar. Já estava na hora de sair fora, levantar acampamento, pegar o caminho da roça, meter o pé, vazar, ir embora... como preferirem! Após retornar ao carro foi a hora de agradecer à Deus e à todos os Espíritos da Floresta pela segurança e a diversão fornecida para a gente naquele dia de escaladas. Valeu Cyrino, Pedro e Lyno.

Daniel "Olho" Leal na conquista da via "Tatuagem de Guerra" 7c/8a na Falésia do Telégrafo. Foto: Divulgação.

Porém quero fazer um agradecimento em especial aqui para um grande amigo Daniel "Olho" Leal. Uma pessoa que, ao meu ver, é a responsável atualmente pela evolução na escalada em Niterói. Abrindo novos projetos de boulders, conquistando falésias e vias tradicionais em grandes paredes e ainda sim com o grau elevado. Um "Muito Obrigado" em nome da Familia Buscapedra por todo seu empenho na escalada niteroiense. Cabe aqui ainda o agradecimento para o parceiro do Olho nessas conquistas, o também amigo, Luiz Andrade. Valeu pessoal. Muito obrigado.    
 
Post ao som de Electrixxx - Guess What

1 comentário:

Pedro disse...

kamon caio!!!

agora só falta voce conhecer a exposição de arte!! papo de é a menina dos olhos da falesia!! partiu esse sabado?

e parabens mais uma vez pro Daniel Olho, Luiz Andrade, Fabio Gollum, Fabricio Lofrano e todos os outros que criaram aquele pico tao foda!! viva a falesia do telegrafo!!! trilha tranquila e muita pedra!!!

abraçao!!