segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Escalada em horário nobre.


Juro que não sei o que pensar. Não sei isso me deixa super feliz ou preocupado com as merdas que vão aparecer. Confesso que tenho, em certas ocasiões, perdido o sono por isso! O motivo: um escalador na nova novela das oito, "Viver a Vida". Isso mesmo! O novo personagem do escritor Manoel Carlos é o "aventureiro" Felipe - interpretado por Rodrigo Hilbert. Posso estar me precipitando ao fazer essa crítica mas, como não sou adepto dos personagens estereotipados das mídias, acho que lá vem coisa fedorenta. Era pra eu estar feliz por ter meu esporte divulgado em horário nobre, mas acho que também não estou sendo injusto. É só olharmos um pouco para trás e ver as "titicas" que já foram para as telonas do cinema que contribuíram para manchar a imagem da Escalada:
  • Limite Vertical (Vertical Limit, 2000 - Columbia Pictures): O filme conta a história incrível - de se acreditar - de uma subida ao K2 para socorrer 3 escaladores presos depois de uma avalanche. A mentira está quando uma equipe de escaladores sacrificam suas vidas para salvar apenas três. Calma, vai piorar! A equipe de resgate sobe a montanha localizada na fronteira sino-paquistanesa, com ogivas de nitroglicerina, que explodem ao contato com o sol. O filme faz da subida da segunda maior montanha do mundo (8.611 metros), a coisa mais banal. Destaque também para cena inicial, quando após uma queda numa fenda em móvel, todas as peças saem e a cordada de três (dois irmãos e o pai) tem que cortar a corda do pai para aliviar o peso. Incrível. Só vendo para acreditar!
  • Missão Impossível II - M:I 2 (Mission: Impossible II, 2000 - Paramount Pictures): O filme que mudou a visão da escalada. Diversas pessoas me perguntavam: "Caraca, Caio! Vi Missão Impossível ontem, tu faz aquilo que o Tom Cruise fez? Ele escala bem né?" Pior ficaria quando essas pessoas, seguras de si, estufavam o peito e diziam: "Po, agora eu sei o que é escalada!". No início do longa dirigido por Jonh Woo, tem uma cena de escalada em solo protagonizada pelo agente secreto Ethan Hunt, vivido por Tom Cruise. A cena tem uma ambiguidade. A subida do ator é um grande fiasco. Sem técnica nenhuma. Quase uma agressão à rocha. O sinistrão ainda inventa uma manobra. Após errar a via - porque para a pedra ficar lisa do nada ou a anta errou a via ou ele chegou no crux e peidou na hora - ele manda um bote para baixo em direção à um platô. Melhor que falar, vocês podem relembrar um pouco da cena clicando aqui. Mas a cena "hollywodiana" não foi totalmente em vão. Das poucas cenas em que o escalador Ron Kauk aparece, ele nos presenteia com uma subida em seu estilo único.
  • Risco Total (Cliffhanger, 1993 - Universal Pictures): O filme até que é bom. Vale pela cena inicial do solo do mestre Wolfgang Güllich - morto em um acidente de carro logo após o filme ser finalizado. O protagonista Sylvester Stallone está muito bem fisicamente e mostra ter uma técnica mais apurada à escalada. Mesmo com o auxílio do cabo-de-aço, o ator encara a escalada com direito a assopradinha na mão após usar o magnésio. Assim como em M:I 2, Ron Kauk também participa das filmagens como dublê. Mas tinha que ter alguma cagada! Durante uma tirolesa, a fivela do bauldrier (cadeirinha) da escaladora simplesmente se parte, ela cai e morre. Por que que a anta não colocou as pernas no cabo como manda a cartilha de utilização de tirolesa? Bem-feito! Visando uma retratacão, nos créditos do filme há uma mensagem explicando que, a cadeirinha da Black Diamond usada para o filme, foi modificada para que aquele acidente acontecesse. Menos mal, porque a BD ameaçou processar a produtora do filme. Pior que a primeira cadeirinha que meu pai me deu, foi uma da BD. Esse trauma me perseguiu por toda a infância. Hoje, com consultas semanais à grupos de apoio, me vejo, em fim, livre desse fantasma chamado "Fivela da Black Diamond". A cena inicial e o acidente podem ser visto clicando aqui.
Como vocês podem ter comprovado, minha preocupação não é em vão. Espero não ver o "galã-aventureiro" fazendo rapel e gritando "Uhul! Radical!". E para agravar mais a minha angústia e aumentar a dosagem dos meus remédios tarjas pretas, o diretor da novela Jayme Monjardim, divulgou em seu fotolog algumas fotos do personagem Felipe e disse: "Todo paramentado, com apetrechos de alpinismo, Felipe, personagem de Rodrigo Hilbert, escala os penhascos íngremes de Petra enquanto Bruno, personagem de Thiago Lacerda, aponta suas lentes para o colega, registrando os lances mais radicais dessa escalada". Quem tem apetrecho é fantasia de baiana no Carnaval e quem escala penhasco é cabrito! Registrar lances radicais de uma escalada num penhasco íngrime? Esse Bruno não é fotógrafo, é mágico! Ah, eu pago para ver essas fotos! Vou encerrar esse post por aqui que a minha pressão já está subindo. Acompanhe meu sofrimento nos próximos capítulos de "Viver a Vida", novela da Rede Globo, exibida de segunda à sábado a partir das 21h.

1 comentário:

Juliana disse...

mas que revolta hein! HAHAHAHAAHA..
assino embaixo do seu post!