segunda-feira, 16 de março de 2009

Groundation faz show no Rio de Janeiro.


Ingresso do show do Groundation no Canecão. Foto: Roger Ramos

"Até que enfim!" Foi isso que pensei assim que passei pela mocinha - muito bem apessoada, diga-se de passagem (risos) - que recolhia os convites para o show. Às 20h10, finalmente, entrei na casa de espetáculos, Canecão, localizada no bairro de Botafogo, Zona Sul do Rio de Janeiro, para o tão aguardado show da banda norte-americana de reggae Groundation. Junto com meu irmão (Pedro Gomes) e o amigo Rodrigo Nunes, esperamos exatos 95 minutos para o início do show. Nem o estratosférico preço do ingresso, nem a longa e desorganizada fila para comprar-los, e muito menos o atraso de 1h15m desanimaram os fãs cariocas da banda. Assim que as cortinas se abriram, a espera deu lugar à euforia! 

Groundation durante show realizado ontem no Canecão. Foto: Pedro Gomes.

Confesso que, mesmo já tendo visto a banda em vídeos no YouTube, fiquei surpreso. Os integrantes não fazem o estilão jamaicano (roupas largas e coloridas, cordões, penduricalhos, etc). Os músicos trajavam camisas e camisetas, bermudas, chinelão e etc. Então, foi no maior estilo californiano que o Groundation, comandado pelo camisa 10 da seleção brasileira (Que Ronaldinho Gaúcho que nada!), o vocalista Harrison Stafford, arrancou aplausos, gritos e coros de famosos sucessos da banda por duas horas e cinco minutos (o maior show da turnê até agora). O show contou com performances inesquecíveis dos instrumentistas, em especial o percusionista Paul Spina - que levou o público ao delírio com suas batidas (confira no link a performance de Paul Spina) - e o tecladista Marcus Urani - que precisou da ajuda de um contra-regra para segurar seu teclado para que não caísse, tamanha era a força com que ele batia nas teclas.

Outro fato memorável, foi quando o baixista, Ryan Newmann, durante o primeiro "bis", deu inicio ao riff de "Come Together", hit de sucesso da banda inglesa The Beatles. O cover da música ficou muito bom. Um arranjo bastante original com mensagens que pregavam paz e amor. Em seguida foi a vez das back-vocals Kim Pommel e Stephanie Wallace arrepiarem o público com suas cordas vocais durante o lendário som de Bob Marley & The Wailers, "Exodus". Porém o que mais emocionou os fãs foi o terceiro "bis". Após gritos de "Groundation, Groundation!" a banda retornou ao palco e tocou, que na minha opinião é uma das melhores músicas de reggae que eu já ouvi: "Freedom Taking Over".

O vocalista e guitarrista, Harrison Stafford, com a camisa da seleção brasileira, contemplou os fãs com mensagens que pregavam o amor e a paz. Foto: Pedro Gomes.

Por falar em mensagens, era com bastante atenção e silêncio que o público ouvia os recados de Stafford. Antes de tocar o sucesso "Music Is The Most High", quarta faixa do álbum "We Free Again", Harrison, disse que o Futuro está no amor unificado e que para combater o mal e guerra nós temos na música a arma mais eficiente. E como um bom norte-americano, o vocalista também engrossou o discurso político ao lembrar da última passagem da banda pelo Brasil, quando eles enfrentavam um momento triste, mas que agora com a chegada de Barack Obama, o novo presidente dos Estados Unidos da América, eles voltaram a sorrir e a ter esperança numa melhora geral. 

No show foram tocados sucessos de todos os álbuns, exceto os do "Dub Wars"(2006). Segue abaixo o set-list (original e escrito a mão) do show do Rio de Janeiro, cedido ao blog ao término do show - depois de muito pentelhar o rapaz para pegar o tal papel:
5 - Dream
12 - Hebron

Set-list original do show do Groundation no Rio de Janeiro, com erros e sem os "bis". Foto: Caio Gomes.

O show decorreu na maior paz, como já era esperado. A qualidade do show foi incrível: luz, som e o ambiente devidamente climatizado. A boa estrutura do Canecão proporcionou o comentário em off do vocalista da banda: "Ano que vem, Canecão né?". Para finalizar, Harrison Stafford deixou o palco junto dos outros integrantes dizendo: "Rio, nos veremos em breve... em breve!" E assim espero, Sr. Stafford. 

"This is GROUNDATION!" (Harrison Stafford).

Post ao som do álbum "Dub Wars" de 2006 do Groundation.

6 comentários:

Tárin disse...

Show perfeito! O melhor que fui até hj! A energia estava boa demais e os solos nem se fala! bjs

Cabanófilo disse...

Porra, esse show foi foda mesmo! Seu post me relembrar cada segundo! Parabéns!

Christiane Mussi Ponciano disse...

Eu já fui a quatro shows do Graudation, inclusive na Califórnia. Todos foram espetaculares. Mas, o show realizado no canecão no último domingo foi o que teve a melhor vibração!! Mesmo faltando algumas músicas do repertório clássico do graudation....a energia do lugar, foi sensacional! Acho que curtir assim, somente "reegueiros" brasileiros sabem fazer...
abraço!

Raphael Donato ( Raphastary) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Raphael Donato ( Raphastary) disse...

Caralho, Esse show ai é meu sonho leke...
Groundation é som pra KDNA mor..
blog irado...


abras!

gnomistica disse...

Muito legal essa matéria sobre o Groudation, principalmente a parte sobre a CAMISA 10 DO BRASIL, pq fomos nós que demos,vou contar:

Meu marido (Rodrigo) e eu (Lidia), compramos os ingressos uns dias antes para o grande show da banda Californiana Groudation realizado aqui em Sampa, porem alguns dias antes ficamos com receio de ir pq eu estava grávida de 9 meses e a data para o bebe nascer era um dia após o show, mas decidimos ir.
Chegando lá foi verificamos se tinha ambulância, taxi, tudo que fosse necessário caso o bebe quisesse nascer... rsrsrs...
Primeiro vimos o Mato Seco, uma apresentação sem igual, ganhamos até uma entrada vip para o camarote deles de uma pessoa que estava na platéia e se identificou conosco, porem não entramos pq os organizadores disseram que se entrássemos não poderíamos sair e tínhamos planos para o show do Groudation...
Alguns dias antes do Show, meu marido pegou a camiseta favorita dele 10 do Brasil (original, camisa do Pelé), mandou estampar H. STAFFORD, para dar para o Harrison...
Chegado este momento do show, exatamente na musica WE FREE AGAIN, mostramos a camiseta e toda a banda parou, foi um momento de musica mágico. Após o show, entramos no camarim, foi difícil, mas entramos, quando entramos o Harrison estava sentado descansando, porem na hora que ele nos viu abriu um sorriso lindo e veio imediatamente em nossa direção.
Foi um momento de muita vibe e pelo que sentimos e conversamos com o Harrison e a banda para ele também foi renovador. No momento que demos a camisa do Brasil para o Harrison ele ficou espantado e até questionou se era para ele mesmo, nos agradeceu muito, disse que no próximo show iria usar a camisa, deu uma palinha de ONE MORE DAY, pois explicamos para ele o que significa esta musica para nós, enfim foi um momento muito vibe e de muita renovação espiritual.
Esse era meu primeiro show da banda, mas meu marido já foi nos últimos 4, mas para ambos foi o melhor show das nossas vidas e foi muito positivo quando o Harrison passou todas as energias boas para meu bebe ainda na barriga, colocando a mão nela e desejando toda felicidade, paz e amor do mundo e demais vibrações e essa vibe continuou quando vi sua matéria e vídeos no Youtube com o Harrison usando a camisa 10 Brasil que demos para ele, muita positividade.

Obs.: o bebe nasceu dia 20... rsrsrs...
Se quiserem ver as fotos, postei no meu Orkut: Lidia Silva.

Abraços para todos vcs e fiquem na paz de Jah, que ele continue guiando o caminho de vcs
Jah Bless