segunda-feira, 11 de Julho de 2011

O melhor Ubatuboulder da história.

“Motivacional”. “Incrível”. “Histórico”. Todos os adjetivos anteriores resumem de forma fiel como foi o Ubatuboulder 2011. Justiça seja feita: muitas outras qualidades poderiam ser atribuídas ao evento mais tradicional da escalada esportiva e um dos mais importantes dentro da escalada nacional.

Adoto a frase que ouvi na noite do último sábado (9), da boca do amigo Beto Ferragut: “Estou muito orgulhoso de toda a galera”. Realmente. Quando digo que o evento foi “motivacional”, quero dizer que todos que estiveram presentes no Pontão da Praia da Fortaleza deram o seu máximo. Justifico dessa maneira o adjetivo “incrível” empregado anteriormente. Foi realmente incrível ver toda a galera apertando com força todas as agarras dos boulders.

No primeiro dia do evento, cadenas de expressão foram realizadas. A manhã do sábado estava mesmo inspiradora. Logo no começo, o caçula da Família Buscapedra, Pedro Gomes, encadenou dois v7 sem fazer muita força: o “Olho de Peixe” e o “Dois em Um”. Ainda deu tempo do “Gominho” mandar clássicos como “Pezinho” e “Trailer”, ambos v4. Mais tarde o forte escalador de Campinas, Beto, encadenou um dos boulders mais difíceis do Pontão: o “Bakanas” v13. Não satisfeito e não demonstrando nenhum sinal de cansaço - o que configurou uma cadena sólida e confortável -, Beto desceu e resolveu entrar no “Cracolândia” v12. Simples assim. Mais um v12 no bolso.

Na escalada utilizamos o termo “abrir a porteira” para se referir ao ato de um escalador encadenar um boulder e os demais encadenarem na sequência. Então, o Beto “abriu a porteira”. Logo depois foi a vez do Miguel “Esteban” Osório, um dos mais fortes escaladores carioca, mandar o “Cracolândia”. Com a vibe incrível da galera, foi impossível não fazer o mesmo. No terceiro pega do dia, finalmente consegui realizar uma escalada perfeita e mandar o mesmo v12. Sim, senhoras e senhores: eu mandei o “Cracolândia”!

E as cadenas não pararam por ai. O campineiro, João Ricardo, encadenou, depois de uma escalada precisa, o clássico “Carlinhos in the House” v12. É o segundo v12 para o “Jão” no Pontão. A noite caiu mas a pressão da galera parece que só aumentava. Graças a 4CLIMB, foram instaladas no Pontão as “vibes”, como são chamados os refletores. Por falar em 4CLIMB, o diretor administrativo da empresa, Felipe Alvares “Kbeção”, encadenou o mais do que clássico “Mau do Nome” v9. A diretoria estava animada. O também diretor da 4CLIMB, Daniel Mendes “Tio Dan”, mandou no mesmo dia o “Cracó” v9. Quando a noite começava a ceder espaço à madrugada, era chegada a hora da galera festejar. Muita música com um violão. “E muita bebida” está implícito, certo?

Quando todos achavam que o domingo seria dedicado a ressaca e a preguiça, eis que a galera mais uma vez surpreende. O escalador carioca Daniel Lustoza, conseguiu realizar seu objetivo da trip: encadenar o “Mau do Nome” v9. Bom, como tudo o que é bom dura pouco, era chegada a hora de ir embora. Tenho certeza que esse foi o melhor Ubatuboulder da história. Em breve disponibilizarei fotos e ainda mais dois posts. Aguardem. Obrigado a todos os amigos presentes que fizeram parte de um dos melhores finais de semana da minha vida.

Sem comentários: